sexta-feira, 18 de junho de 2010

M 265- O PASSADO VOLTA A ALJUBARROTA

O melhor do mundo são as crianças ...que estiveram presentes no" regresso ao passado em Aljubarrota" no dia 15 de Junho de 2010.


Foi numa manhã de um dia cheio para muitos jovens que brincaram, riram a aprenderam coisas novas.

A Professora Vanda Furtado Marques contou (com sentimento e saber)a história de D.Nuno Álvares Pereira ,valente guerreiro que veio a ser Santo, numa Igreja em que na manhã da batalha em 14 de Agosto de 1385 o Condestável rezou, pedindo forças e ajuda a Deus para salvar Portugal.

Séculos mais tarde alguém gravou na pedra que naquele local "resou", um erro ortográfico que esperemos nós os meninos não repitam quando voltarem às suas escolas.
"Resemos" um Padre Nosso por Portugal !

Pois rezemos que Portugal bem precisa nesta fase da sua história por preces e por bons (e competentes) governantes...que não dêem (mais)erros!

JERO

Notas sobre a Batalha de Aljubarrota
«...os Castelhanos contariam talvez 5.000 lanças (cavalaria pesada), 1.500 ou 2.000 ginetes
(cavalaria ligeira),mas não haveria mais de 5.000 besteiros (em parte montados) e 6.000 ou 7.000 peões...
Os Portugueses teriam menos de 2.000 lanças, cerca de 1.000 besteiros e um número de archeiros ingleses que atingiria, quanto muito, 700; os peões andariam por 4.000.
Ambos os exércitos compreendiam muitos não combatentes, porque a cada lança correspondiam, em princípio, três cavalos... e era considerável o número de homens empregados nas colunas de munições e de bagagens,(carreiros, condutores de muares, etc)».
DICIONÁRIO DA HISTÓRIA DE PORTUGAL
Direcção de Joel Serrão
Teriam estado portanto no terreno de batalha cerca de 30.000 homens, o que é de facto um número impressionante que demonstra ,à distância no tempo, a importância do 14 de Agosto de 1385 na História de Portugal.
JERO



1 comentário:

  1. Bem apanhado, olhe que estive lá, li o texto e não vi o resou...
    Beij
    Vanda

    ResponderEliminar