sábado, 8 de maio de 2010

M 247 - ATÉ SEMPRE CÉSAR


César Taveira

A família que ainda vive em Alcobaça – sua irmã e cunhado – participaram recentemente o seu falecimento .
Era residente em Belo Horizonte – Brasil e contava 73 anos.

Chamava-se César Augusto Carvalho Taveira.
Conheci o César em miúdo.
Em jogos de futebol, em brincadeiras.
O César era um jovem irreverente que ,onde estava, não passava desapercebido.
Eu miúdo da escola ele já na escola do trabalho.
Eu menino da mamã ele já matreiro.
César Taveira foi pintor de cerâmica.
Aprendeu nas escolas da Vestal e da Raúl da Bernarda...
Aos 18 anos emigrou e durante muitos anos perdi-o de vista.
Reencontrei-o muitos anos mais tarde como aguarelista consagrado…
Com exposições na nossa terra.
Lembro-me de em casa do nosso comum amigo Adventino encontrar algumas das suas aguarelas. E em casa de outros alcobacenses.
Os seus trabalhos entusiasmavam e eram apreciados quase que com reverência.
Eram aguarelas do César!
As recordações dos locais onde viveu a sua juventude, que “retratavam” a saudade de quem está longe...


Antes de deixar a vida César Taveira conseguiu uma coisa invejável.
Através das suas aguarelas reservou , nas paredes dos seus amigos, um espaço para a sua memória.
Um feito que não é para todos.

Até sempre César.

JERO

Sem comentários:

Enviar um comentário