terça-feira, 5 de julho de 2011

M - 364 COM PEDRAS SE FAZ A HISTÓRIA

PEDREIRAS

A uns trezentos metros da minha casa há uma pedreira escondida. Não sei se é pequena se é grande porque terra e silvas a cobrem, mas está lá.
O Mosteiro Medieval de Alcobaça construído sob orientação de um cenóbio cisterciense é em pedra.



A enorme Igreja e dependências monásticas foram integralmente erguidas com milhares de toneladas de pedra calcária durante dezenas de anos vindas do maciço calcário estremenho.



Entre os dois rios multiplicaram-se estaleiros onde se aparelhavam os grandes blocos trazidos em carros puxados por juntas de bois. Ninguém sabe ao certo de onde vinha a pedra apenas se pode dizer que viria do local mais próximo da obra e com a qualidade desejável de ter plasticidade e durabilidade secular.


Hoje, a evidência das jazidas calcárias é a Serra.


Mas há 8 séculos não havia a tecnologia de extracção que há hoje nem a mobilidade de transporte.


Viria o calcário do sopé da Serra da zona que hoje tem o topónimo de Pedreiras? Viria das gargantas de Chiqueda ? Haveria no lugar de Alcobaça referido na carta de doação de 8 de Abril de 1153 pedreiras cobertas pelos séculos posteriores? Teria o rio posteriormente baptizado de Alcoa servido de via de transporte da pedra para além da via terrestre?
Outro dia conversava com o Dr.Paulo Inácio e o Presidente estava entusiasmado com possíveis análises de “ADN” da pedra do edifício monástico e das pedreiras para saber mais.
A Drª. Maria Augusta tem na sua posse análises possíveis na época que poderão complementar por certo novos métodos de análises.
Mas que serve saber-se.
 Gosto diletante? Curiosidade científica?
Certamente servirá para um roteiro de turismo cultural que poderá estruturar-se nos próximos dez anos.

Incluir o trabalho de uma pedreira num roteiro cultural parece ser positivo se for convenientemente estruturado.
É por razões destas que é urgentíssimo um programa de conservação integrada para a parte devoluta do Mosteiro erguida desde o final do Sec. XVI e até ao Sec. XIX no período posterior às Invasões Francesas.




Rui Rasquilho



1 comentário:

  1. INFLUÊNCIA DO AMBIENTE NA A.M.L. (ÁREA METROPOLITANA DE LISBOA) SOBRE A SELECÇÃO DA PEDRA CALCÁRIA DE LIOZ
    Descrição no livro:
    O presente estudo, resulta da adaptação de uma tese de mestrado, apresentada junto da Faculdade de Arquitectura da Universidade Técnica de Lisboa, no âmbito do Curso de Mestrado em Tecnologia da Arquitectura e Qualidade Ambiental, realizado entre 1993 a 1994. Visa essencialmente determinar os motivos históricos, compreendidos no período da alimentação da economia Portuguesa, pelo ouro derivado da colónia do Brasil, e viabilidade funcional no uso, que levaram à preferência na adopção da pedra calcária de lioz, para fazer face às características do ambiente na A.M.L. (Área Metropolitana de Lisboa), aponta similarmente precauções a ter na sua utilização e aplicação construtiva. Tendo como base a selecção de quatro localidades para amostras, expostas ao mar, interior urbano e rural, identificando as patologias e razões do seu desenvolvimento, fornecendo também indicações para as contrariar. Finalizando com o estabelecimento de um nível de ponderação de importância a dar, nas suas propriedades físicas e químicas, no sentido de proporcionar um método de selecção deste tipo de pedra, na substituição em edifícios existentes, tirando proveito desses parâmetros para servirem ao mesmo tempo, na selecção da pedra calcária de lioz, na construção de novos edifícios.



    Edifícios analisados: Palácio Ratton em Lisboa, Torreão Oriental da Praça do Comércio em Lisboa, Igreja de Nossa Senhora da Consolação em Arrentela e Igreja da Nossa Senhora do Monte Sião em Amora.

    Adquirir o livro nos websites:

    https://www.createspace.com/4877272
    http://www.amazon.com/dp/150037234X/ref=rdr_ext_book
    http://www.amazon.de/Influ%C3%AAncia-ambiente-A-M-L-selec%C3%A7%C3%A3o-calc%C3%A1ria/dp/150037234X/ref=pd_rhf_se_p_img_1

    Referencias sobre o autor:
    https://plus.google.com/u/0/100888385940893225494/posts
    http://pt.linkedin.com/pub/laurindo-amorim/73/551/9b6
    http://arqlaurindo.no.sapo.pt/

    ResponderEliminar